Resenha

[RESENHA] “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell

Temos aqui um livro lançado em 1945 do escritor inglês George Orwell, um clássico. Não temos muito para onde ir, a não ser em direção a essas pouco mais de 150 páginas de um romance satírico que narra a história dos animais da fazenda do solar.

Anúncios
Resenha

[RESENHA] “Um amor incômodo”, de Elena Ferrante

Elena Ferrante é o pseudônimo de uma autora italiana – eu acredito realmente que se trata de uma mulher – que teve o seu primeiro livro (Um amor Incômodo) lançado no ano de 1996. Porém, a publicação só chegou ao Brasil ano passado.

contos, crônicas

arrisco-me antes que se vá

a porta não estava totalmente fechada e pude ver da cama o filete de luz amarelada que escapava pela fresta. seguida por uma névoa que saía sem pressa para dominar inteiramente não somente o banheiro que observava, mas o quarto em que estava. sonolenta me escondo nas cobertas e tento aguçar o ouvido para ouvir… Continuar lendo arrisco-me antes que se vá

crônicas

sentir-se em casa

Às vezes sentimos vontade de parar, meio sem fôlego tentamos subir à superfície que insiste em nos afogar. Parar de tentar ir adiante por algo que não está nos fazendo tão bem, por alguém que não está indo na mesma direção, por aquilo que já não faz tanto sentido assim. Parar para poder prosseguir, tão… Continuar lendo sentir-se em casa

cartas, crônicas

hoje as lembranças resolveram me abraçar

Parti sem olhar para trás, deixando uma vida, amizades, paixões, decepções e tudo mais que possa acontecer com qualquer ser humano. Parti em busca do novo, do medo, da aflição, das preocupações, do frio na barriga, das lágrimas pelo diferente, do sorriso por conquistas que jamais pensei que poderiam existir. Já não queria mais trilhar… Continuar lendo hoje as lembranças resolveram me abraçar

cartas, textos

o desfiar de emoções vividas

Era final de tarde, o sol estava se pondo quase que preguiçoso, sem pressa. Acredito que estava nos presenteando com seu amarelo vívido de final de dia para renovar energias. Ah, energia, essa que há tanto não possuo mais, essa que, aos poucos, foi escorrendo por entre os nós da alma e me fizeram curvar… Continuar lendo o desfiar de emoções vividas

crônicas

quando chega a hora de dizer adeus

Neste primeiro momento vivo como um pequeno corpo em toda a violência de uma tempestade no mar. Sinto-me arremessada para todas as direções, sem dó, as ondas machucam e a chuva pesada me faz querer chorar. Quero escorrer como cada gota fria que sinto na pele, quero gritar mais alto que todos os trovões lançados,… Continuar lendo quando chega a hora de dizer adeus

contos, textos

noite quente de sonhos e suspiros silenciosos

meia noite e vinte e sete. O barulho intenso de conversas aleatórias, ruídos indecifráveis no meio de tanta gente e as risadas exageradas eram o palco perfeito para o desejo de fuga. Queríamos sair dali rápido, não pelas pessoas, ela que se divertissem como bem entendem. Queríamos apenas partir para o sossego, encostar a cabeça… Continuar lendo noite quente de sonhos e suspiros silenciosos

contos

o romper repentino de partidas indesejadas

Quando estava indo, quando senti que a distância palpável se estendia e crescia a cada segundo, quando percebi que sua sombra não mais casaria com a minha nos dias ensolarados, ficou difícil lidar com o aperto. Não era dor. Era angústia, um troço que estava me fazendo sentir algo que ainda não tinha provado. Quase… Continuar lendo o romper repentino de partidas indesejadas

contos, textos

Vem dançar a nossa música

Eu te quero hoje e amanhã já não sei mais. O corpo exala desejo e pede por ajuda, que chegue logo e venha depressa. Não quero controlar a vontade de ter, agarrar e rodopiar até a tontura confirmar que somos completamente loucos um pelo outro. Hoje quero dormir contigo, mas antes quero cansar e caçar… Continuar lendo Vem dançar a nossa música